29 de abril de 2009

Culinária local

Tempo estranho
De nuvens plúmbeas.

- O céu vai desabar...

O suspiro faz-se ouvir
E ocas batidas nos telhados
Também.

É a chuva pela qual rezam lá na caatinga...
E ela vem, vem enchendo rio
E o que não é rio.

Vem lavando o barro
E levando as almas
Das casas.

Sessenta mil vítimas
Não foram suficientes
Para acordar
O Brasil dormente.

Esse era o ingrediente final
Da desgraçada receita
De vida maranhense.
E o Brasil,
Simplesmente,
Ignora a culinária de nossa gente.

3 comentários:

Fóssil disse...

Que fazer se pro sul as coisas parecem ter um gosto melhor?

Elis A. Martins disse...

Pois é, os pratos indigestos não fazem parte do gosto culinário brasileiro.

Ótimo poema. Parabéns

Anônimo disse...

Wirklich auch als ich darГјber frГјher nicht nachgedacht habe cialis bestellen viagra online schweiz [url=http//t7-isis.org]cialis rezeptfrei[/url]