7 de outubro de 2009

Filhos da puta

Tá tudo
errado
quando
dizem
certo
O futuro
no chão
um livro
aberto:
as folhas
rasgadas
mastigadas
As letras
palavras
vomitadas.

Nos palanques
tribunais
nas
catedrais
pessoas boas
são sempre
marginais
Cuspindo
merda
estão
os filhos
da puta
os malditos
filhos
da maldita
puta.

Pior
saber
que o
ciclo
não tem
fim...
Tem sempre
uma puta
parindo
por aí!

5 comentários:

Pan y vino disse...

Gostei muito do texto e o final está impactante, cáustico, mas bem-humorado ( como convém nesses momentos!). Mas na 2ª estrofe, Rômulo, vc queria dizer: cuspinho merda estão os filhos da puta, OU cuspindo merda estão os filhos da puta?

Rômulo Pacheco disse...

nossa, eu agradeço o elogio e a observação. quis dizer cuspindo mesmo, desculpa, mudo já.

Menino disse...

Acho que não precisa mudar não. Mesmo sendo uma ambiguidade, nesse caso achei bacana, faz o leitor pensar, refletir sobre a realidade que se abate sobre nós.

Por falar nisso, texto interessante e bem forte. Parabéns !

Maria Alice disse...

Também acho que não deve mudar mais nada.Tá muito legal mesmo!Parabéns!

Brenda Maciel disse...

HAHAHAHAHHAA,
tem sempre puta parindo... é foda. Dá uma puta raiva, uma raiva da puta!